quarta-feira, 31 de julho de 2013

O poder da palavra

Como a voz e as formas que você escolhe para se comunicar facilitam sua chegada ao topo do mercado de trabalho


Há quem diga que pelo menos um terço da população trabalha oficialmente com comunicação. Cantores, atores, locutores, professores, jornalistas, publicitários, vendedores. Bem, parece que é chegada a hora de você se incluir nessa conta. Um estudo recente da Duke University, nos Estados Unidos, apontou que os CEOs com voz grave têm maiores chances de seguir no topo do mundo corporativo. Após analisar 792 executivos americanos, o resultado mostrou que aqueles que apresentavam voz mais forte comandavam empresas maiores e, por consequência, eram capazes de fazer mais dinheiro. Embora o estudo não seja conclusivo, os resultados sugerem que a voz tem, sim, força suficiente para alavancar ou travar uma carreira. Mas e os nossos melhores executivos? Eles também passam por problemas semelhantes? ALFA foi atrás de alguns dos especialistas mais renomados da área para descobrir, afinal, qual é o peso do que, como e com quem você fala. E, sim. É hora de medir cada vez melhor as palavras.

Nos últimos 20 anos, as empresas passaram a buscar cada vez mais o chamado “alinhamento horizontal”. Após tanto tempo sobrevivendo nas costas de executivos centralizadores e, por vezes, autoritários, as companhias entenderam que hora de buscar uma gestão mais compartilhada. Abriu-se espaço para ouvir os colaboradores e suas opiniões, expressões e ideias. É exatamente como pensa Moisés Sznifer, professor e consutor da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP). “Muitas vezes nós supomos que sabemos o que o outro vai dizer. Mas acontece que as pessoas têm modelos mentais diferentes. Na comunicação, o ouvir é mais importante do que o falar”.

Se para a carreira de um executivo, a primeira lição é ouvir mais e falar menos, é melhor se acostumar com os novos tempos e aposentar aquele personagem que se tornava o dono da reuniões de negócios. “O que não podemos perder de vista é que não existe verdade. A Terra já foi plana. O Issac Newton falou de gravidade enquanto o (Albert) Einstein nos contou sobre a relatividade. As pessoas que tem tolerância para a ambiguidade lidam melhor com as situações”, afirma Moisés.

Nada disso, no entanto, diminui a responsabilidade na hora de tomar a palavra. Segundo Ana Elisa Moreira Ferreira, diretora-executiva da Univoz, empresa especializada em fonoaudiologia empresarial, o grande segredo é se manter equilibrado e saber entender qual é o momento correto para se expressar. “A fala “preciso dos relatórios para hoje” é básica. Mas se falo de forma enérgica, as pessoas vão entender como algo autoritário. Por outro lado, se falo sem força, posso não ser atendido”, conta. Isso acontece porque as pessoas têm a tendência de se levar mais pelo tom da fala do que exatamente pelas palavras escolhidas. “As palavras informam, mas é a voz quem emociona”, lembra.

Outra postura importante para crescer na carreira é a de levar em conta sempre seu interlocutor. Quem é ele, como trabalha, onde e como age. Saber tomar esses quatro passos antes de uma conversa vai sempre facilitar as coisas. Claro, entender melhor como é a sua forma de se comunicar também faz parte do jogo. “A nossa fala começa sempre por uma emoção inconsciente. A partir disso, a forma que eu usar para falar com a outra pessoa vai causar uma sensação. Dizer um “não” pode ser delicado, ao passo que o “sim” pode ser agressivo. Nunca podemos esquecer que estamos vivendo sob a condição de uma emoção muito própria, única”, alerta o professor Moisés Sznifer.

10 Dicas para se comunicar melhor

1. Todos temos um estilo próprio de se comunicador. Adapte o seu ao contexto, ao interlocutor e ao assunto. Flexibilidade é essencial.

2. Escutar é o primeiro passo para se comunicar bem. Os desafios só serão bem resolvidos se escutamos atentamente o que os outros têm a dizer. Tente também entender o seu interlocutor e o acolha.

3. Faça perguntas que promovam leva à reflexão e demonstre interesse por mais informações.

4. Seja positivo. Ninguém quer se relacionar com quem vê apenas os problemas em tudo que se apresenta.

5. Seja assertivo – lide com a verdade e se expresse com segurança e clareza. Nunca seja agressivo.

6. Combine palavras com a expressividade da voz. É ela a responsável por transmitir a emoção dos fatos. Logo, as pessoas acreditam mais nas informações transmitidas pelas variações melódicas, do que nas palavras.

7. Respeite cada ambiente social e corporativo e seja cordial na comunicação.

8. Module voz, gestos e olhar no ambiente profissional. Exageros estão relacionados a situações de intimidade e de liberdade, o que não é bem visto no ambiente corporativo.

9. Escolha o vocabulário e a estrutura das frases de acordo com a situação e interlocutor. Palavras difíceis muitas vezes apenas impõem distância e dificultam a interação.

10. É importante saber sobre o que se fala. Busque conhecimento sobre assuntos específicos do seu trabalho, mas também diversifique a pauta e saiba interpretar os fatos mais atuais.

By Revista Alfa

Total de visualizações de página