sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Linguagem corporal


Muitas vezes são as coisas que você não diz que falam mais alto do que o que você realmente diz. Mais da comunicação que enviamos e recebemos é sem palavras faladas e sim através de nossas expressões faciais, posicionamento do corpo, ritmo, intensidade e tom de voz. Às vezes, a sua linguagem corporal é bastante evidente e consciente, como quando você faz cara feia e/ou mostra o dedo para o motorista que apenas te cortou no trânsito e quase causou um acidente.

"Conhecer e lidar com suas emoções subjetivas antes de falar e reagir
 irá ajudá-lo a evitar mal-entendidos."

Mas, depois há aqueles momentos em que você acha que o que você está dando para seu parceiro é a garantia brilhante do que ele precisa e o que você recebe de volta é “realmente não gosto dele." Huh? Ou quando você sinceramente diz: "Eu quero que sejamos algo mais" e ele diz: "Não olhe para mim desse jeito!" Como o quê? O que a sua linguagem corporal está transmitindo faz toda a diferença entre ser ouvido, conhecido e recebido, ignorado e não acreditado.

Sinais da linguagem corporal 

Quando você melhora a própria consciência da sua linguagem corporal, a sua capacidade de se comunicar de forma eficaz, ouvir e ser ouvido e obter o que deseja vai multiplicar por dez.

Utilize estes 60 segundos de check-in para sintonizar a sua linguagem corporal e certifique-se que seus sinais verbais e não verbais estão em sincronia:

Meu corpo está ...

1 - Rígido, apertado, cruzado, com a mão fechada
2 - Oscilando, balançando, remexendo
3 - Cansado, sonolento, caído
4 - Confortável e alerta. Ombros e costas estão relaxados. Corpo está aberto, não cruzado, ligeiramente inclinado para a frente.

Minha expressão facial está...

1 - Com raiva e irritada
2 - Tensa e nervosa
3 - Entediada e desinteressada
4 - Emocionalmente presente, calma, simpática e interessada

Meu contato com os olhos é ...

1 - Intenso e agressivo
2 - Ansioso e deslocando
3 - Sem foco, que não responde, olhando para longe
4 - Focado e calmo

Minha respiração é ...

1 - Superficial e rápida
2 - Estressada e nervosa
3 - Esforçada e difícil
4 - Profunda, lenta, cheia e relaxada

Meu tom de voz é ...

1 - Apertado, forçado ou restrito
2 - Lamentoso, mau humorado ou estridente
3 - Irritado, exigente ou frustrado
4 - Amoroso, positivo, confiante e amigável

Minha reação é ...

1 - Muito rápido: Eu sou defensivo e argumentativo.
2 - Muito lento: Minha atenção está entrando e saindo.
3 - Deflexivo: Estou virando, culpando, não ouvindo.
4 - Ágil e curioso: Eu sou emocionalmente disponível, ouvindo, interessado, querendo entender.


Obviamente, o número quatro é o estado ideal em que você quer estar.

Aqui está um pequeno segredo: As mensagens que seu corpo envia são geralmente alinhadas com suas emoções. Você pode começar a fazer com o que seu corpo seja mais congruente, primeiro perguntando "qual é o meu estado emocional agora?" O minuto em que você sentir seus ombros tensos, apertando mandíbula ou cerrando os punhos, é hora de fazer um check-in emocional.

E não se esqueça de prestar atenção a sua respiração! A respiração profunda e confortável, naturalmente influencia seu humor e seus pensamentos. Fazer algumas respirações profundas pode lhe dar a pausa que você precisa para se checar emocionalmente e propositadamente coordenar a sua linguagem corporal com o que sua boca (e coração) quer dizer.

Conhecer e lidar com suas emoções subjacentes antes de falar e reagir irá ajudá-lo a evitar problemas de comunicação, alinhando sua linguagem corporal com suas palavras e enviando uma mensagem coesa e coerente faz com que você diga o que você quer dizer, e diz o que você quer falar. 

Linguagem corporal conta pontos na entrevista online

 O jeito de balançar a cabeça, de fazer contato com os olhos e até a inclinação do corpo podem fazer a diferença durante uma entrevista por videoconferência, segundo pesquisa do PGi, um provedor de software de webconferência. Segundo a empresa, a linguagem corporal pode determinar até 80% da decisão final durante a seleção.

  O uso da ferramenta cresceu 49% desde 2011 no mundo, e ela é utilizada por 6 entre 10 recrutadores para selecionar candidatos, de acordo com o PGi.

Segundo o PGi, 74% dos recrutadores dizem que entrevistas em vídeo fazem seu trabalho mais fácil, 88% acreditam que as entrevistas online ajudam a economizar dinheiro, e 90% dizem que a modalidade ajuda a preencher o cargo vago mais rapidamente.


Já entre os candidatos, 66% preferem utilizar o vídeo durante o processo de entrevista. A empresa listou atitudes em que a linguagem corporal passa diferentes tipos de mensagens para quem está do outro lado da tela. No caso de atitudes positivas, o recrutador vê impressões de compreensão e confiança. Já entre as atitudes negativas, o candidato pode mostrar confusão e desconforto.
Veja lista com atitudes positivas e negativas e a impressão que cada uma transmite:


Atitudes positivas Atitudes negativas
Cabeça balançando: mostra paciência e entendimento Testa franzida: mostra confusão, desacordo e desconforto
Contato com os olhos: mostra interesse e confiança Falta de contato com os olhos: mostra desconforto e desonestidade
Sorriso: mostra positividade Cara fechada: mostra desconforto, desinteresse e tensão
Corpo inclinado para frente: mostra interesse, preocupação e compreensão Corpo inclinado para trás: mostra resistência, desinteresse e dúvida
 
Outras dicas
 
1) Enquadre seu rosto
Ajuste a webcam para mostrar apenas a partir da metade do tronco até o topo da cabeça.

2) Arrume o cenário
Teste a iluminação e certifique-se de que ambiente esteja arrumado e que não tenha  elementos que possam distrair ou deixar o recrutador confuso.


3) Não demonstre inquietação
Além de revelar ansiedade, o candidato ainda corre o risco de abafar o áudio.

4) Faça contato com os olhos
Olhe diretamente para a câmera enquanto estiver falando, não olhe para o monitor.


5) Vista-se adequadamente
Arrume o cabelo e se vista profissionalmente.


6) Confie na tecnologia
Teste a ferramenta e pratique antes da entrevista para ficar confortável com a tecnologia e evitar surpresas.

 By G1

  Use a linguagem corporal a seu favor no trabalho

Se você quer que o seu chefe grite "Promoção já!", é melhor ficar atento ao modo como balança os braços, faz clique-clique com a caneta, estala os dedos ou senta-se em sua cadeira. Essa linguagem não-verbal faz parte de todas as situações no local de trabalho. Mais do que isso: ela é fundamental para o seu sucesso. Você já deve ter ouvido falar que três segundos é o tempo que levamos para formar opinião sobre alguém, não é? Pois 55% do impacto das mensagens comunicadas vem dos gestos que fazemos.

Por isso, antes de mover um músculo, da cabeça aos pés, leia o que a ex-modelo que já foi professora de passarela de Naomi Campbell, hoje especialista em linguagem corporal e cultura empresarial, Judi James, explica em seu livro Linguagem Corporal no Trabalho (Best Seller). Dá para usar o que ela ensina na sua autopromoção, na hora de interpretar e entender a chefia e a concorrência - e até para dominar reuniões.

Rosto de vencedor
O primeiro passo, segundo Judi James, é dar adeus à expressão "protetor de tela"
Sabe aquela cara que você faz quando está distraído em sua mesa ou em um evento? Para descobrir como se parece, pense no seu rosto quando faz uma pausa para o café. Se ele fosse uma camiseta com uma frase escrita, qual seria? "Olá, seja bem-vindo" ou "Vá embora, quero ficar sozinha"? Seu olhar mostra confiança, arrogância ou passividade? 
 "O ideal é exibir sempre um sorriso expressado pelos olhos e um ar sedutor e confiante", ensina a expert.

Jeito de líder
Essa característica tão magnética pode ser sua, sim! Basta apostar no mix andar suave e com algum objetivo aliado a cabeça erguida
"O olhar nivelado é o melhor", assegura Judi James. Mostra equilíbrio e autoconfiança. E ainda alerta: não caia na armadilha de carregar muitas coisas. "Elas jamais devem comprometer sua postura ou seus gestos.

Postura de campeão

Em pé
Líder de verdade se alonga. Curvar-se indica desânimo. Por isso, na hora de andar, solte os braços ao longo do corpo e mostre sua energia: arrastar-se pelos corredores não vai levar ninguém a apostar em você, vai? Convém voltar o olhar para cima e à sua volta, jamais para o chão. 
 Se for fazer um pedido - como um aumento -, nada de se balançar como se estivesse a bordo de um bote inflável à deriva. "Fique firme!", ensina Judi.

Sentado
Para alinhar a postura e parecer disposta e responsável mesmo em sua mesa, alongue a coluna fazendo um arco para trás e, depois, relaxe-a. Uma boa rotação de ombros também ajuda. 
Outra tática é distribuir o peso em ambas as nádegas e pousar os pés delicadamente sobre o chão, levemente separados.

Brilho de ofuscar a concorrência
Para se destacar dentro da equipe, Judi aconselha que você invista na arte de escutar
Primeiro, melhor resistir à tentação de, na pressa, continuar respondendo a e-mails ao conversar com alguém. Virar-se para quem está falando e olhá-lo o tempo todo a faz ganhar pontos. Se quiser demonstrar mais interesse, vale se inclinar e concordar com a cabeça, levantar a sobrancelha e manter silêncio. 
"Cuidado: sentar-se com braços cruzados e olhos voltados para o chão pode ofender o interlocutor. Checar o relógio, bocejar ou mexer em papéis enquanto o outro estiver falando também está proibido. Ou ainda cruzar as pernas e manter a de cima balançando, o que indica impaciência, como se quisesse se ver livre da pessoa com quem está", diz Judi. 
Além de observar a sua linguagem corporal, vale ficar atento também à do outro para saber se não está sendo enrolado. "Alguns indícios, como lamber os lábios, tocar o nariz, coçar a orelha ou a nuca, arregalar os olhos ou desviar o olhar para o lado superior direito, acessando a parte criativa do cérebro, indicam falta de sinceridade."

Gestos de profissional poderoso
Quando você menos espera, pode ter alguém da diretoria de olho em você. Por isso, tome cuidado com estes gestos, capazes de destruir a imagem de um profissional. 
"Inspecionar unhas ou balançar bijuterias dão impressão de agonia, nervosismo, preocupação ou tentativa de encobrir um erro", diz Judi. 
O mesmo vale para movimentos que denunciam stress, como levantar os ombros, piscar demais, manter os punhos fechados, ficar de sobrancelhas suspensas.Toda atenção é pouca na hora de decidir onde colocar as mãos. 
"Tocar o cabelo o faz parecer infantil e imaturo". Já roçar nas orelhas pode dar a impressão de que está mentindo. Opa! E ainda: colocar as mãos no pescoço demonstra nervosismo. Na nuca, ansiedade. Descanse as mãos sobre a mesa ou ao longo do tronco para passar a segurança que deseja.

Estrela das reuniões
De acordo com a especialista, profissional esperta considera esses encontros como horário nobre, em termos de imagem. Judi orienta a nunca abrir uma porta devagar ou andar na ponta dos pés em uma sala de reuniões. Antes de entrar, respire fundo, endireite as costas e siga em frente. E não se esqueça de transferir qualquer pasta para a mão esquerda. Assim, estará livre para apertos de mão. 
Uma escolha das mais importantes é o lugar onde vai se sentar. "Quem ficar na extremidade mais distante da chefia indica estar em conflito direto com ela. No meio da mesa também é arriscado, uma vez que seu superior terá que se inclinar para ouvir o que você diz". O veredicto: prefira ficar mais próximo a ele. "Bem ao lado, sinaliza bajulação discreta. Você passará a impressão de apoiar o bambambã, silenciosamente." 
Em tempo: nunca se sente na beira da cadeira. Mostra insegurança. Quando for defender um ponto de vista (e não espere muito, ou talvez não tenha a chance), mantenha as mãos abertas ao começar a falar e, ao longo do discurso, una as duas pela ponta dos dedos: dá a impressão de racionalidade. 
Outro truque é lançar mão de uma caneta para fazer as anotações importantes. "Apenas rabiscar faz com que pareça chateada e distraída. Bater na mesa, além de demonstrar irritação, dá nos nervos do grupo. Morder entrega ansiedade". Depois de colocar todos esses ensinamentos em prática, é torcer para sua chefia precisar da tal caneta emprestada - e assinar a sua promoção!
 

Total de visualizações de página