domingo, 9 de junho de 2013

Fazer o que gosta ou gostar do que faz?



Não existe um trabalho sequer na face da Terra que seja agradável em 100% do tempo. Sempre haverá tarefas que serão realizadas com muita satisfação e outras que serão realizadas simplesmente por responsabilidade.

Nessa hora, muitos em vez de lidarem com maturidade, sentem-se as criaturas mais infelizes do planeta, nutrindo a ilusão que no dia em que tiver um emprego X na empresa Y, serão mais felizes.

Fazer o que gosta certamente é muito interessante, porém, gostar do que faz é essencial pra quem chegar mais longe. Parece que estamos falando da mesma coisa, mas há uma diferença muito sutil e ao mesmo tempo enorme entre esses dois conceitos que pode fazer toda a diferença:

FAZER O QUE GOSTA - subentende-se que o foco é a tarefa, transformando-a no fim em si mesma. Por exemplo, alguém que goste de trabalhar com pessoas e que se realiza muito através deste contato humano, acaba atingindo o seu objetivo fim por passar o dia inteiro lidando com gente, ou seja, fazendo o que gosta.

Mas GOSTAR DO QUE FAZ não para por aí. Isso porque a tarefa, seja ela a preferida ou não, não é a atividade fim, mas apenas um meio para se alcançar o fim desejado que gerará recompensas e uma satisfação indescritível.

Usando o mesmo exemplo, alguém que goste de trabalhar com pessoas, mas enxerga esta atividade como um meio para formar profissionais para construir um projeto, para mobilizar uma comunidade a fim de realizar projetos sociais ou para montar uma equipe produtiva e vitoriosa para alavancar resultados positivos em direção de seu projeto de vida.

Neste caso, a tarefa, apesar de em muitos casos ser agradável, não é o fato gerador da realização, mas apenas um meio para se alcançá-la. Alguém que entendeu que a tarefa é um meio e não o fim, certamente, quando se deparar com atividades no dia a dia que não são as suas preferidas, vai encará-las de forma mais positiva e madura, pois o seu foco e a expectativa sempre estarão no objetivo final e não no meio para alcançá-los.

Quem somente segue boiada terá uma visão mais limitada, sempre considerada pelo ponto de vista da manada. Assim, ficará pulando de galho em galho, em busca do projeto perfeito, o que não existe, vendo o tempo passar, pensando dentro da caixinha e nunca atingindo os projetos que um dia desejou.

Tudo isso, em nome de uma felicidade e da busca por FAZER O QUE GOSTA, enquanto aprendendo a GOSTAR DO QUE FAZ, o prazer e as recompensas de alcançar um sucesso futuro, serão muito maiores.

Pense com carinho!

BOA SEMANA A TODOS.



By Geração de Valor

Total de visualizações de página